Sempre-viva Boletim Poético

 O Sempre-viva Boletim Poético teve início em julho de 2004 a partir de oficina literária oferecida pelo escritor Vítor Kawakami à comunidade participante do 5° Encontro Cultural de Milho Verde, em Minas Gerais. Como resultado da oficina foi criado um boletim para divulgar os poemas elaborados, que foi fotocopiado e seus exemplares distribuídos gratuitamente pela pequena comunidade rural de Milho Verde, cabeceira do rio Jequitinhonha. Assim nasceu a edição número 0 e, graças ao sucesso alcançado pela iniciativa, logo formou-se um grupo de jovens interessados em prosseguir com a proposta.

 Com a fundação do Instituto Milho Verde em 2004, o boletim passou a receber apoio estrutural para que seguissem as publicações bimestrais, ainda em cópias preto e branco. Em 2006, o Instituto Milho Verde aprovou o projeto Cordão Cultural por Milho Verde junto ao Ministério da Cultura e assim se tornou um Ponto de Cultura. Isso possibilitou que o Sempre-viva, contando ainda com a orientação de outros escritores como Rudá K. Andrade e Sílvio Neves, iniciasse a formação de seus jovens participantes com oficinas de produção literária, editoração gráfica, fotografia, e que pudesse publicar os boletins em 4 cores num processo de impressão gráfica profissional. 

 Entre os mais importantes resultados, o Sempre-viva Boletim Poético ficou em 4o lugar nacional no I Concurso Pontos de Leitura 2008: homenagem a Machado de Assis; recebendo logo depois o Prêmio Pontos de Mídia Livre 2009, ambos organizados e oferecidos pelo Ministério da Cultura. Tais reconhecimentos permitiram desde a criação da sede do boletim com a sua Sala de Leitura e biblioteca com cerca de mil títulos, junto ao Centro Cultural de Milho Verde, até a disponibilização de bolsas de incentivo aos membros da equipe editorial. Durante 10 anos e 54 números, o Sempre-viva Boletim Poético esteve voltado à publicação de autores locais, regionais e consagrados nacionalmente, estimulando a produção e divulgação gratuita de literatura pelo Vale do Jequitinhonha.

 

 Entre 2013 e 2014, últimos anos da publicação, foi lançada uma série especial dedicada a 6 microrregiões do rio Jequitinhonha até alcançar sua foz no mar baiano, contando com a produção de Bruno Emiliano, pesquisa de Sílvio Neves, design gráfico de Vítor Kawakami e suporte da equipe editorial. Estes incríveis resultados encerraram o ciclo de produção de boletins, permitindo assim o surgimento da Sempre-viva Editorial com sua nova proposta de publicação de livros.

                                                                           

                                                                                   Imagem de fundo: Luis Evo

IMG_7832.jpg
IMG_7833.jpg
IMG_7834.jpg
IMG_7835.jpg
IMG_7836.jpg
IMG_7837.jpg
logo verde sempre-viva - psd trans 2.png